quarta-feira, 30 de junho de 2010

Slumlords - On The Stremph!

Imagine uma banda na linha do Sick of it All com pouco de algo meio OI! e para completar o vocal do Jeff do Breakdown, imaginou? animal não? pois bem, essa banda existe e se chama SLUMLORDS. Confesso que sei pouco sobre essa excelente banda, só sei que além do Jeff, o Slumlords ainda conta com membros de outras bandas bem sucedidas como Pulling Teeth, Stout, Iron Cross e Sab Gray and the Royal Americans. O esquema é conferir, por que é de primeira linha. Estou disponibilizando aqui o álbum ON THE STREMPH! de 2006, que na minha opinião é o mais agressivo, porem, tem outro de 2004 que é muito bom também, eu não sei se eles tem outro, mas sei que a banda voltou as atividades no começo desse ano, então podemos ser surpreendidos a qualquer momento.


Pra se manter informado sobre os caras, você pode acompanhar as atualizações no Myspace deles. Nem preciso dizer o que eu estava ouvindo enquanto escrevia esse post né?

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Ahora mas que nunca!!!

Sim, a combinação infalível de Açaí + Paçoca + Amigos + Hardcore se mostrou vitoriosa mais uma vez neste domingo (27/06/2010) no show de estréia do Final Round. Esse domingo foi inesquecível, velhos e novos amigos reunidos, nos dando o calor que é tão necessário nesses momentos de tensão. Sim, eu estava tenso, estava sentindo como se fosse a primeira vez que estava subindo em um palco, fora os medos de sempre, dos amplis não derem conta, minha voz não dar conta, uma corda estourar, etc. Mas a presença de grandes amigos foi o suficiente para relaxar e se sentir preparado para essa estréia. Você deve estar estar se perguntando, "esse mané ta falando sério mesmo? não ta forçando?", claro que não estou forçando, estou falando muito sério, qualquer pessoa que tem um banda quer sempre que as coisas saiam bacana, se não é melhor ficar só no estúdio, sem passar sua mensagem para ninguém. Tirando esse bla bla bla todo, o show foi excelente, acima das minhas expectativas, apesar de achar que eu poderia ter feito melhor. Foram 11 músicas (9 nossas, 1 cover do Sick of it All e 1 cover do Floorpunch) tocadas com toda agressividade, sinceridade e emoção possível, em um show que acredito que não tenha durado nem 30 minutos, mas que foi o suficiente para os camaradas expressarem suas opiniões que foram (para minha plena felicidade) 100% positivas e o que me deixa mais feliz é saber que a grande maioria foi muito sincera e que muitos ali manjam bastante de hardcore. Por que estou falando tudo isso? simples, esses fatores se tornaram um espécie de combustível, que faz com que já comecemos a traçar as próximas metas da banda, metas como compor novos sons, fazer uma gravação digna, etc. Ahora mas que nunca iremos perseguir nossos objetivos.
Sobre os festival em si, achei que iria colar mais gente, afinal, na minha opinião, o cast era muito forte, para fã nenhum de hardcore botar defeito, de qualquer forma foi uma honra ter começado dividindo o palco com esses 4 nomes tão fortes da cena paulista (Afronta, Ralph Macchio, Corleone e Clearview).
Fora o show em si, para fechar o role com chave de ouro, como já estávamos na augusta, é claro que não contrariamos as tradições, passamos na soroko para apreciar as duas maiores maravilhas do mundo (depois do Corinthians e da minha noiva), Açaí e Paçoca, acompanhados de muitas risadas. Pronto, depois disso não faltava mais nada para o role ficar perfeito.

Final Round Crew

Infelizmente faltou muitos amigos que eu gostaria que estivessem nesta foto, mas de qualquer forma, eu espero passar por outros momentos bons como esse. A propósito, o próximo post vai ser de utilidade publica para os fãs de bom hardcore.

Este post foi escrito ao som de What Happens Next?

domingo, 27 de junho de 2010

E assim começa...

Hoje particularmente é um dia especial, não pela bela goleada de 4x1 da seleção Alemã para cima da fraca defesa da seleção Inglesa pelas oitavas de final da copa do mundo, nem pelo jogo da excelente seleção Argentina contra a seleção Mexicana que vai ocorrer daqui a uma hora, também valendo vaga para as quartas de final da copa do mundo (vai dar Argentina com certeza). Hoje eu considero um dia especial por dois motivos, o primeiro é este blog mesmo que você está lendo. Quem me conhece sabe que gosto de escrever, compartilhar idéias, participar de debates, discussões, gosto de expor meu ponto de vistas, minhas convicções, etc... Então como os dois outros blogs que faço parte (BUST IT! e HORNS UP) são mais focados no hardcore e neles eu optei por uma visão imparcial, criei este para andar na contra-mão disso, este blog é mais no gênero "meu querido diário...". Mas é claro, quando se escreve algo em blogs se espera que alguém vá ler, portanto vou tentar não ficar escrevendo um monte de bobagem sem importância que não vai acrescentar em nada na minha vida e nem na de quem for ler. Já adianto que, (caso você não me conheça) eu não vivo uma vida de constantes aventuras e fortes emoções, eu sou simplesmente um rapaz comum, apesar que no meu ponto de vista não existem pessoas comuns, cada um tem suas particularidades e um modo de conviver com suas alegrias e frustrações, uns tem mais dificuldades do que outros para lidar com os problemas, outros simplesmente se mostram indiferentes a qualquer obstaculo e outros ainda, ignoram os benefícios que a vida lhe forneceu, isso faz com que as particularidades de cada um sejam escancaradas. Por estes motivos tenho certeza que muitos vão se identificar com o que vão ler enquanto que muitos vão discordar, em ambos os casos espero que comentem nos posts para que possamos evoluir o assunto e dar mais um passo para nossa revolução interna, afinal, a verdadeira revolução acontece de fora para dentro.
O Segundo motivo que me faz considerar esse dia como sendo um dia especial, é que hoje é o fim de um mistério que durou pouco mais de 2 meses. Antes de revelar o mistério, vou falar o porque do mistério, simples, não queríamos que houvessem julgamentos burros e boicotes por nossos rostos, queríamos que o que fosse julgado fosse as letras, as melodias e as posturas que estávamos assumindo, não se eu gosto de azul ao invés de amarelo, se é que você me entende. Por que estou falando isso? é que hoje é o primeiro show da minha banda, o Final X Round, onde optamos revelar os membros que fazem parte da banda somente no primeiro show. Depois que o X-Punch deu uma queda no ritmo (para não dizer que encerrou suas atividades), eu passei a acreditar que não subiria mais em uma palco a não ser para dar um stage dive, mas, depois de pescar um conversa entre dois grandes amigos e me aproveitar da liberdade e dos laços que criamos nessas décadas de amizade, passei a acreditar que a história seria diferente e hoje, depois de pouco mais de 5 meses (tempo em que a banda se formou) escondidos em um estúdio ou em um perfil de rede social, vamos entregar nossa cara a tapa e fazer o que mais gostamos de fazer, botando para fora os sentimentos que já estão a transbordar do nosso peito. Esse é nosso lugar, esse é o nosso tempo, esse é o nosso som e esse é o nosso orgulho.


Este post foi escrito ao som de Slapshot.